Alguma vez você tentou “dar um jeitinho”?

Alguma vez você tentou “dar um jeitinho”?


Na véspera de uma prova, 4 colegas resolveram chutar o balde: iriam viajar. Faltaram à prova e então resolveram dar um “jeitinho”. Voltaram à universidade na terça, sendo que a prova havia ocorrido na segunda. Então dirigiram-se ao professor:

– Professor, fomos viajar, o pneu furou, não conseguimos consertá-lo, tivemos mil problemas, e por conta disso tudo nos atrasamos, mas, gostaríamos de fazer a prova.

O professor, sempre compreensivo: 

– Claro, vocês podem fazer a prova hoje à tarde, após o almoço.

E assim foi feito. Os alunos correram para casa e se racharam de tanto estudar, na medida do possível. Na hora da prova, o professor colocou cada aluno em uma sala diferente e entregou a prova. Primeira pergunta, valendo 1 ponto: algo sobre a Lei de Ohm. Os quatro ficaram contentes pois haviam visto algo sobre o assunto. Pensaram que a prova seria muito fácil e que haviam conseguido se “dar bem”.

Segunda pergunta, valendo 9 pontos: “Qual pneu furou?”

Texto extraído da Internet de autoria desconhecida

 

 

A verdade é, acima de tudo, uma forma de defesa.

Às vezes, ao criamos fantasias e histórias, não percebemos que estamos tecendo a corda que vai nos enforcar dali alguns dias. Quando criamos uma mentira, invariavelmente teremos que criar outras para sustentar a primeira e isso pode virar uma bola de neve.

Do outro lado da moeda, a verdade absoluta também não é a melhor arma em muitos dos casos. É possível dizer a verdade sem rechear de detalhes e explicações que podem igualmente te comprometer.

Sem defender a atitude “imoral” dos alunos, bastaria que eles dissessem que, por razões pessoais, não puderam fazer a prova – não estariam mentindo e não passariam pela “saia justa” de ter que explicar uma mentira. Caso optassem por falar a verdade absoluta “resolvemos gandaiar em vez de fazer a prova”, provavelmente ganhariam um inimigo que prejudicaria ainda mais a situação escolar dos alunos.

Para se falar a verdade, é necessário estratégia: coloque à mesa somente as informações importantes para aquele momento, que justifiquem sua fala e sua atitude.

Já a mentira, nenhuma estratégia será perfeita.

E você? Alguma vez tentou “dar um jeitinho”? Curta, compartilhe este post e conte sua história!

 

Abraços #inspiradores, beijos com #atitude!

 

De seu amigo, ZEPPA.


Marcio Zeppelini é empresário, empreendedor social, palestrante inspiracional,
presidente da Rede Filantropia e diretor executivo da Zeppelini Publishers.

www.zeppa.me 



#InspiraçõesdoZeppa #Propósito #Atitude #MarcioZeppelini #palestramotivacional #Zeppa

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe agora

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp